5 casos famosos na ufologia brasileira

0

Relatos de Objetos Voadores não identificados (OVNIs) e da presença criaturas extraterrestres ficaram famosos na ufologia brasileira nas últimas décadas.

Os segredos por trás de alguns desses acontecimentos ficaram guardados por muito tempo, até virem à tona nos últimos anos. Isso aumentou a curiosidade de entusiastas pelo assunto levando-os a crer que de algum forma não estamos sozinhos no universo.

A seguir, confira 5 casos extraterrestres que ficaram conhecidos na ufologia brasileira:

1. A noite dos OVNIs

Nas proximidades do aeroporto de São José dos Campos, em São Paulo, objetos voadores não identificados foram avistados e atestados em radares de São Paulo em Brasília. O fato ficou conhecido como “A noite dos OVNIs”.

Cerca de vinte OVNIS foram detectados pelos radares e a aparição durou por aproximadamente três horas.

A situação foi tão grave que se considerou que a segurança dos voos estava ameaçada, em especial em São Paulo, onde os OVNIS estavam mais ativos e onde se concentra a maioria das rotas aéreas.

Com essa confirmação, um jato F5 saiu da Base Aérea de Santa Cruz, no Rio de Janeiro, em direção a São José dos Campos.

O tenente Kleber Caldas Marinho fez contato visual com os objetos voadores e relatou que atingiam uma velocidade superior a 1000 km/h.

O caso foi noticiado na imprensa de todo o Brasil e até hoje continua envolto de mistérios. Isso porque, acredita-se que a Aeronáutica não revelou tudo que ocorreu naquela noite.

Em 2009, a Força Aérea Brasileira divulgou um relatório oficial que dizia: “Este Comando é de parecer que os fenômenos são sólidos e refletem de certa forma inteligência, pela capacidade de acompanhar e manter distância dos observadores, como também voar em formação, não forçosamente tripulado”.

Até hoje, este é um dos registros mais intrigantes da ufologia brasileira.

2. Caso VASP – Voo 169

Este caso ocorreu no dia 8 de fevereiro de 1982 e foi testemunhado por mais de 100 pessoas.

O voo 169 da VASP que partiu às 1h59 de Fortaleza com destino a São Paulo. Quando se aproximou da cidade de Petrolina, em Pernambuco, o comandante avistou uma luz ao lado da aeronave.

O comandante Gerson Maciel de Brito inicialmente pensou que se tratava de outro avião e tentou entrar em contado, mas não teve sucesso. Na época, ele descreveu que se tratava de um OVNI vermelho e laranja nas bordas e com o centro branco azulado.

O comandante entrou em contato com a torre de Brasília que emitiu um alerta para que se outras aeronaves avistassem o OVNI reportassem o ocorrido.

O voo 169 da Aerolíneas Argentinas e o voo 177 da Transbrasil reportaram o avistamento do OVNI.

A tripulação foi avisada sobre o fato e visualizou a luz persistente. Quando a aeronave sobrevoava na altura de Brasília, a torre detectou no radar o OVNI.

Ao se aproximar do aeroporto do Galeão, em São Paulo, o OVNI disparou em alta velocidade e não foi mais visto.

3. Operação Prato

A Operação Prato durou por quatro meses e se constitui em um dos mais famosos casos de OVNIs brasileiros. Em um documentário do History Channel, o ocorrido foi chamado de “O Caso Roswell Brasileiro“.

Entre os anos de 1977 e 1978, na cidade de Colares, no Pará, os moradores relataram o aparecimento de luzes que causavam queimaduras, marcas de agulha, perda de sangue, paralisia e tremores com quem tinha contato. O fenômeno ficou conhecido como “chupa-chupa”.

Entre outubro e dezembro de 1977, foram realizadas missões pelos agentes do 1º Comando Aéreo Regional (COMAR). Oficialmente, a operação terminou em 1977, mas documentos oficiais indicam que os militares continuaram investigando a ocorrência dos OVNIS em 1978.

O Capitão Uyrangê Bolivar Soares Nogueira de Hollanda Lima, foi quem esteve a frente das missões. Após revelar alguns fatos da operação em uma entrevista ao programa Fantástico, da TV Globo, o militar foi encontrado morto.

Há quem acredite que foi queima de arquivo. Porém, existe a suposição de que o capitão entrou em uma profunda depressão após entrar em contato com as luzes misteriosas, o que teria resultado num suicídio.

Os registros da missão só foram divulgados em 2008 e até hoje o mistério atrai entusiastas de ufologia à Colares.

4. Flagrante aéreo em 2005

No dia 27 de março de 2005 em um voo que partiu de São Luís, no Maranhão, para Brasília, o piloto José Moraes fez um vídeo da cabine do avião enquanto deixou a aeronave no piloto automático.

O piloto fez imagens da cabine, do copiloto e das nuvens. Entretanto, depois ao ver as imagens, percebeu que a câmera captou um OVNI que passou no céu em alta velocidade.

Não haviam balões meteorológicos na região e a aeronave estava a cerca de 10 mil metros de altitudes, onde não é possível que haja aves voando.

A possibilidade de ser um meteorito também foi descartada, pois o objeto não deixou rastros no céu.

5. ET de Varginha

Este certamente é um dos casos mais famosos da ufologia brasileira.

Na cidade de Varginha, em Minas Gerais, no dia 20 de janeiro de 1996, três jovens avistaram em um terreno baldio o que seria um ser de outro planeta.

A seguir, ocorreram eventos estranhos que acabaram despertando a atenção da mídia brasileira e mundial.

As meninas avistaram o que seria o extraterrestre por volta das 15h30 e a mãe de uma delas ligou para o Corpo de Bombeiros. A criatura foi capturada e levada para o hospital.

Um dos bombeiros que trabalhou no resgate, Marco Chereze, morreu de forma misteriosa algum tempo depois. Testemunhas afirmaram que o bombeiro teve contato direto com o alienígena.

Após o primeiro relato, outras pessoas afirmaram ter visto outro extraterrestre, que teria sido capturado pelos militares.

A grande movimentação de militares, a chegada de aviões norte-americano em um aeroporto próximo da cidade fizeram com que Varginha ficasse conhecida pelo caso, o que impulsiona, até hoje, o turismo na região.

Deixe Um Comentário