5 descobertas que revolucionaram a medicina

0

A medicina e a indústria farmacêutica têm avançado ao longo dos séculos. Hoje temos disponível tratamento para doenças que chegaram a dizimar populações no passado.

Veja a seguir algumas descobertas médicas que mudaram a história da humanidade.

1. Vacina contra a varíola

Entre os séculos XVIII e XIX, as mortes ocasionadas por surtos de varíolas eram frequentes.

O médico britânico Edward Jenner, em 1798, percebeu que as vacas possuíam em suas tetas feridas semelhantes as ocasionadas pela varíola nos humanos.

Após estudos, constatou-se que os animais tinham uma variação mais leve da doença: a varíola bovina.

Foi aí que começaram os estudos para a formulação da vacina contra a varíola, um grande passo para a medicina.

A erradicação total da doença só ocorreu no século XX, na década de 1980.

2. Morfina

A morfina é um analgésico utilizado até os dias de hoje em caos extremos de dor. O medicamento foi criado em 1806, pelo químico Friedrich Sertürner a partir do isolamento dos alcaloides de ópio.

O ópio é obtido a partir do suco concentrado de frutos de papoulas, sendo considerado um dos primeiros analgésicos usados em procedimentos médicos.

3. Insulina

Em 1901, Leonid Sobolev descobriu a insulina a partir do isolamento das células pancreáticas.

Duas décadas depois, em 1921, os médicos Frederick Banting e Charles Best identificaram a sequência de aminoácidos que compõem uma molécula de insulina.

Dessa forma, os especialistas conseguiram encontrar uma forma de sintetizar artificialmente este hormônio que regula a glicose no sangue.

A insulina foi testada pela primeira vez em 1922, em um adolescente de 14 anos que sofria de diabetes.

Os resultados do tratamento foram muito satisfatórios e no mesmo ano a insulina começou a ser produzida em larga escala para o mercado farmacêutico.

4. Sulfonamida

Em 1932, o professor de patologia Gerhard Domagk comprovou que o “prontosil rubrum” (um tipo de corante vermelho) era capaz de proteger camundongos e coelhos contra a ação de bactérias, como os estafilococos e estreptococos hemolíticos.

Após algum tempo, a filha de Domagk ficou à beira morte ao ser acometida por septicemia, uma grave infecção generalizada ocasionada por estreptococos, bactérias que causam envenenamento fatal do sangue.

Como não tinha nada a perder, o médico administrou na filha uma dose alta de prontosil. Com o medicamento, a menina ficou curada e daí surgiu a sulfonamida, que é considerado o primeiro antibiótico que teve sua eficácia testada em humanos.

A sulfa (sulfonamida) é utilizada até os dias de hoje para o combate a doenças causadas por bactérias, como pneumonia, por exemplo.

5. Penicilina

A descoberta da penicilina ocorreu acidentalmente pelo médico escocês Alexander Flemig e mudou a história da medicina.

O médico esqueceu seu material de estudo acerca de bactérias sobre sua mesa de trabalho ao sair em férias.

Quando retornou, percebeu que as bactérias estavam cobertas de mofo e que havia uma espécie de halo transparente em volta das colônias. Esta era a substância bactericida.

Um estudo mais aprofundado do mofo revelou que os microrganismos pertenciam ao gênero Penicillium.

Esses fungos seriam capazes de combater a bactéria estafilococos, que é o microrganismo predominante de diversas infecções, como difteria, sífilis, difteria e etc.

Pela primeira vez se tinha uma substância eficaz no combate a infecções causadas por bactérias.

Deixe Um Comentário