7 lugares que desafiam as leis da ciência

0

Há no mundo lugares únicos e que são tão inacreditáveis que até mesmo para a ciência são difíceis de se explicar. Tratam-se de locais de extrema beleza onde ocorrem fenômenos raríssimos.

Conheça 7 lugares únicos que desafiam as leis da ciência:

1. Vulcão Kawah Ijen

Este vulcão, que está situado na província de Java Oriental, na Indonésia, é bastante peculiar por ser o único no mundo a expelir lava azul.

Quando o magma chega a superfície está com as característica de qualquer erupção vulcânica, ou seja, cor alaranjada, temperatura que varia de 600 a 900 graus Celsius, viscoso e escorrendo lentamente. O que faz a lava ficar azul então?

A explicação está na queima do enxofre, encontrado em grande quantidade na cratera, que é expelido da terra juntamente com a rocha derretida.

A lava azul do vulcão Kawah Ijen só é possível de se ver à noite, apesar de o fenômeno ocorrer o tempo todo.

2. Árvore dupla de Casorzo

Uma árvore que cresce em cima de outra árvore. Esta é a definição da árvore dupla de Casorzo, localizada em Piemonte, na Itália.

Além de ser uma árvore em cima da outra, as duas árvores são diferentes. O que aconteceu foi que uma cerejeira cresceu em cima de uma amoreira.

Os habitantes do local acreditam que pássaros devem ter deixado cair sementes de cereja no topo da amoreira, fazendo com que a árvore germinasse e as raízes crescessem através do tronco até atingir o solo.

É comum que em casos de árvores duplas, a parasita seja menor. Contudo, as duas árvores são muito grandes. Juntas, as árvores possuem cerca de 5 metros de altura.

3. Green Lake

Localizado na Áustria, aos pés das montanhas Hochschwab, o Green Lake é um parque que durante o inverno fica coberto de neve e na primavera se transforma em um lago profundo.

O que acontece é que na primavera, a neve acumulada no inverno derrete e alaga a área. O lago que tem no lugar normalmente não passa de 1 metro de profundidade, mas chega a atingir até 12 metros de profundidade com o degelo.

Durante o verão e o outono, é possível passear e sentar nos bancos do local. Certamente um dos lugares mais belo de se ver.

4. Rio Catatumbo

Na Venezuela, o Rio Catatumbo é palco de um fenômeno incrível: No local, os raios não param de cair.

Essa região passa mais da metade do ano com tempestades elétricas que duram a noite inteira. Não é a toa que o local está listado no Guiness Book como o recordistas em incidências de raios.

A explicação está nas características atmosféricas e topográficas do local. Ainda que sejam assustadores, os relâmpagos do Catatumbo são um fenômeno natural incrível.
As tempestades elétricas ocorrem onde o rio Catatumbo encontra o lago Maracaibo.

5. Petrifying Well

Em Knaresborough, no norte da Inglaterra, está localizado um dos destinos turísticos mais antigos do país, que é a caverna Mother Shipton.

O local já é uma atração há mais de 400 anos. O principal motivo é a fonte que transforma em pedra tudo o que suas águas tocam.

O poço petrificante é envolto de lendas e mistérios. Lá, as pessoas costumam deixar objetos para observarem o fenômeno ocorrer ao longo do tempo. Em poucos meses, se forma uma casca dura de minerais sobre eles.

6. Ringing Rocks

Como o próprio nome já diz, as pedras localizadas no município de Bucks, na Pensilvânia, Estados Unidos, são famosas por emitirem sons que se assemelham a notas musicais.

As rochas ressoam como notas musicais que mudam a melodia muda dependendo do local e da rocha atingida. Há aquelas que parecem ser ocas e outras mais metálicas. Não se sabe ao certo o que provoca os sons.

Em todo o mundo, há quatro parques com rochas musicais. Todos esses lugares estão localizados no pé de uma montanha e são resultados de avalanches. A peculiaridade, no entanto, é que o parque Ringing Rocks se encontra no topo de uma colina.

7. Shanay-Timpishka

O Shanay-Timpishka está localizado nas profundezas da Amazônia peruana. O que espanta nesse rio é que ele está constantemente em ebulição.

O local é tão quente que qualquer animal que entrar nas águas é cozido vivo de dentro para a fora. O rio chega a atingir uma temperatura de 91 graus Celsius.

Os cientistas ainda não descobriram o motivo de águas tão quentes, já que geralmente isso ocorre quando as águas são alimentadas por um vulcão. Entretanto, o vulcão mais próximo de Shanay-Timpishka está a 700 quilômetros.

A teoria é de que a água fervente das profundezas da Terra chegue ao rio por falhas no solo, o que faz com que este seja um sistema geotérmico diferente de qualquer outro no mundo.

Deixe Um Comentário