Conheça o espetacular Grand Canyon

0

Localizado no Arizona, nos Estados Unidos o Grand Canyon, que faz parte do Parque Nacional Grand Canyon, é o maior e mais espetacular cânion do planeta.

Esse cânion é lugar de diversas ocorrências geológicas e seus desfiladeiros possuem uma mistura incrível de cores, que variam entre vermelho, violeta, alaranjado, amarelo e marrom.

O Grand Canyon possui 446 km de extensão e 29 km de largura. Seus penhascos são íngremes e profundos, chegando a atingir até 1600 metros.

O clima local é frequentemente quente e a temperatura muda de alcordo com a profundidade do desfiladeiro. No topo é mais fresco e confortável, enquanto que próximo ao rio as temperaturas podem ultrapassar os 49ºC.

Grand Cânyon é um marco geológico norte-americano

Despenhadeiros, precipícios, montes íngremes e pináculos fazem parte do local onde é possível ver aproximadamente 2 bilhões de anos de acontecimentos geológicos no planeta

As formações rochosas foram resultados de uma fissura causada por uma erosão que teria ocorrido por conta da força do curso do rio Colorado.

Durante o movimento das águas, as rochas começaram a ser esculpidas e a profundidade dos penhascos começou a se formar por conta dos movimentos das placas tectônicas.

Os geólogos não sabem ao certo quando essas transformações se iniciaram. Estudos mostram que o rio Colorado começou a correr ao longo cânion há aproximadamente 17 milhões de anos.

As transformações geológicas demoraram milhões de anos para se concretizarem.

A biodiversidade no Parque Nacional Grand Canyon

A biodiversidade tanto da fauna quanto da flora em torno do Grand Canyon é bastante rica.

O local detém uma flora exótica, composta por diversas espécies vegetais endêmicas, ou seja, há plantas que só podem ser encontradas lá.

É possível ver aves como carriças, andorinhas, beija-flores e corvos. Além de Veados, coiotes, pumas, linces pardos, esquilos, caragambás e ursos negros também vivem no local.

Uma grande variedade de lagartos e cobras também pode ser encontrada na natureza do Parque. Dentre eles, a cascavel do Grand Canyon, que é uma espécie de coloração avermelhada que consegue se camuflar no desfiladeiro.

Dentre os animais, o condor-da-Califórnia é reconhecido como a ave símbolo do local.

Lugar é considerado sagrado

Esta área anteriormente era habitada, antes das imigrações europeias por índios Pueblo, nativos americanos que tinham o Grand Canyon como um local sagrado. Por isso, anualmente peregrinações eram feitas ao cânion.

O espanhol García López de Cárdenas foi o primeiro europeu a avistar o cânion, por volta de 1540. Na língua hopi, o Grand Canyon era chamado de Ongtupqa.

Acesso ao Grand Canyon

Anualmente, cerca de 5 milhões de turistas de todo o mundo visitam o Parque Nacional do Grand Canyon.

A maneira mais fácil de chegar ao Parque é indo de carro ou em excussões que saem de Las Vegas, em Nevada.

O Grand Canyon Skywalk é um dos pontos de observação mais procurados e famosos do Parque. Ele fica no estado do Arizona, há aproximadamente 200 km de Las Vegas.

Neste ponto, há uma plataforma em formato de “U” e com piso transparente, o que faz com que o visitante tenha a real dimensão da profundidade dos desfiladeiros.

A parte sul do cânion é a mais acessiva para os visitantes, podendo ser visitada durante o todo ano. Já a parte norte, que é 300 metros mais alta, só pode ser visitada entre maio e outubro.

Há uma estrada de 355 km que liga a parte norte ao sul do cânion. Quem faz esse trajeto desfruta de paisagens incríveis pelo caminho.

Prática de atividades no Grand Canyon

Para aqueles que gostam de esporte de aventura, é possível praticar no Grand Canyon atividades como trekking, hiking, rafting pelo rio Colorado, trilhas a pé ou de bicicleta e passeios no lombo de mulas pelas trilhas estreitas do cânion.

Para as atividades mais radicais, é exigido um registro perante as autoridades do Parque, por conta dos riscos dos desfiladeiros.

Deixe Um Comentário