Conheça a perigosa e exótica Ilha das Cobras

0

Uma ilha onde os únicos habitantes são cobras venenosíssimas. Esta é a Ilha da Queimada Grande, mais conhecida como Ilha das Cobras.

Localizada em Itanhaém, a aproximadamente 150 da costa de São Paulo e com cerca de um quilômetro e meio de extensão, a Ilha das Cobras é considerada um lugar inóspito, ou seja, que não se pode habitar.

Na ilha, milhares de cobras da espécie jararaca-ilhoa (Bothrops insularis) estão por todos os cantos. Esta é uma das espécie de cobras mais mortais do mundo.

Uma pessoa adulta ao ser picada por essa cobra pode morrer em menos de uma hora devido a paralisia e hemorragia. Se o veneno cair diretamente na pele, atua como um ácido corroendo e causando necrose nos tecidos.

A jararaca-ilhoa é cinco vezes mais venenosa do que qualquer cobra que exista no Brasil. A boa notícia, é que elas só podem ser encontradas na Ilha das Cobras.

Origem do nome da Ilha

Este nome foi dado pelo fato de que antigamente os visitantes da Ilha faziam queimadas no local para espantar as cobras.

Sabe-se que no início do século XX agricultores tentaram desenvolver uma plantação de bananas no local e tentaram matar as cobras colocando fogo na vegetação. Entretanto, as cobras conseguiram se esconder nas cavernas e fendas e, pouco tempo depois, as ideias de cultivo foram abandonadas.

Aumento da população de cobras na Ilha

O motivo da superpopulação dessa espécie no local se deve ao fato desta cobra não ter nenhum predador no ambiente e também pela abundância de alimento. As jararacas-ilhoas se alimentam de aves típicas da região, como o atobá-pardo, e seus ovos.

Pesquisadores acreditam que as cobras estão no local deste a Era Glacial. Anteriormente, onde se localiza a Ilha era um morro continental. Quando o volume das águas aumentou, fazendo com que se formasse uma ilha costeira, as cobras não tiveram como sair.

Estima-se que haja uma média de 4.000 cobras na Ilha.

Mistérios em torno da Ilha das Cobras

Muitas são as lendas em torno da Ilha das Cobras. A mais famosa delas conta que as cobras foram colocadas no local de proposito para proteger um tesouro valioso roubado por piradas.

O “Tesouro de Trindade” se constituiria de um baú de ouro Inca que estaria muito bem guardado na Ilha.

Outros falam que o tesouro não seria dos piratas e sim de Jesuítas que estiveram no Brasil no período da colonização.

Em busca do tesouro perdido

Há alguns anos, uma equipe de pesquisadores internacionais foi à Ilha em busca do “Tesouro de Trindade”.

A equipe enfrentou diversos perigos e, encontrou alguns indícios da existência o tesouro. No entanto, o tesouro em si não foi encontrado.

A caçada foi documentada no programa de seis episódios chamado de “Ilha das Cobras – Caçadores do Tesouro Perdido“, que foi exibido pelo canal Discovery Channel.

Traficantes de animais agem no local

Por ser extremamente perigoso, para ir até a ilha, é preciso uma autorização do governo brasileiro. Apenas pessoas autorizadas e pesquisadores podem entrar no local.

Contudo, devido ao alto valor das cobras no mercado negro, a ilha é frequentemente visitada por traficantes de animais. Um único exemplar de jararaca-ilhoa pode valer até R$ 30 mil.

Tragédia na Ilha das Cobras

Em meados da década de 1920, a Ilha contava com um zelador que operava o farol que há no local para guiar as embarcações.

O homem se mudou com sua família para a Ilha. Entretanto, algum tempo depois, uma equipe foi levar suprimentos e encontrou ele e sua filha mortos. Ambos foram picados e morreram enquanto tentavam sair da Ilha para buscar ajuda.

Por isso, atualmente o farol é operado de forma automatizada para evitar novas tragédias. A Marinha Brasileira é a responsável por fazer a manutenção no local.

Deixe Um Comentário