O lado sombrio dos contos de fadas

0

A luta contra o bem e o mal, princesas que vivem histórias de amor com príncipes, animais falantes e bruxas. Essas são as temáticas frequentemente dos contos de fadas que sempre possuem finais felizes.

Os contos de fadas ficaram eternizados pelas produções da Disney, mas narrativas originais mais antigas nas quais eles foram inspirados trazem em seu enredo temáticas como o canibalismo, morte, estupro, inveja, traições e um final, muitas vezes, nada feliz.

Na Idade Média, a tradição eram as histórias serem repassadas de forma oral, com o objetivo de transmitir valores morais.

Mas, ao invés de histórias bonitas e finais felizes, o elemento principal nessas histórias era educar a partir do medo.

Em 1665, Charles Perrault fez a primeira compilação dessas histórias populares. Dois séculos depois, os Irmãos Grimm fizeram o mesmo com seus contos.

Conheça algumas histórias assustadoras que inspiraram os contos de fadas:

1. Cinderela

Na versão original da história da Cinderela, o sapatinho de cristal na verdade era um tamanco de pelos. Na trama, dois passarinhos ajudam Cinderela a se arrumar para ir à festa onde ela perde o tamanco.

Quando o príncipe chega a até a casa em que a Cinderela morava com as irmãs procurando moças que calcem o tamanco, as irmãs invejosas de Cinderela cortam os dedos e calcanhares para o pé caber no calçado.

Os mesmos passarinhos que ajudaram a Cinderela contam a farsa para o príncipe que encontra sua amada. Na festa em que o príncipe e Cinderela se casam, os passarinhos bicam os olhos das irmãs até elas ficarem cegas.

Em algumas versões, Cinderela também é assassina e quebra o pescoço da madrasta.

2. A pequena sereia

Para poder ter pernas e ir atrás de seu amado, a sereia Ariel faz um trato com a bruxa do mar de cada passo que ela der ao andar, a sensação seria de que ela estivesse enfiando os pés em facas pontiagudas.

Além disso, Ariel cede a sua bela voz para bruxa do mar.

Como o príncipe não corresponde ao amor de Ariel, a bruxa a procura e diz que ela pode voltar a ser sereia caso enfie uma faca no peito do seu amado.

Ariel não tem coragem e acaba se transformando em espuma do mar.

3. Chapeuzinho vermelho

Em uma das versões da história da Chapeuzinho vermelho, o lobo finge ser a avó da menina para oferecer a ela vinho e comida.

Chapeuzinho aceita a gentileza, mas mal ela sabe que acabou comendo a carne e tomando o sangue da avó.

Após isso, o lobo com as roupas da avó pede para que Chapeuzinho deite na cama com ela. Nesse momento, a menina percebe a grande boca e o corpo peludo do lobo, que também a mata.

4. Os três porquinhos

No conto original, dois porquinhos não conseguem fugir para a casa do outro irmão e são comidos pelo lobo.

Quando o lobo vai à casa do terceiro porquinho, ele não consegue derrubar as paredes e tenta entrar na casa pela chaminé.

Mas, ao final da chaminé, á um caldeirão com água fervente, onde o lobo cai e é servido no jantar.

5. Branca de Neve e os Sete Anões

A Branca de neve despertou a inveja de sua madrasta por ser muito bonita. Por isso, a madrasta mandou que ela fosse morta.

O caçador não teve coragem de matar menina e a deixou na floresta. Aí ela encontra a casa dos Sete Anões e passa a viver com eles.

A madrasta descobre que Branca Neve está viva e faz ela comer uma maçã envenenada. Pouco tempo depois, os anões a encontram morta, mas não a enterram e sim a colocam em uma cripta de vidro para que sua beleza seja apreciada.

Até aí a história se parece com a dos contos de fadas que conhecemos, não é mesmo?

Quando o príncipe a vê, fica encantado com a moça morta, o que faz com que os anões deem a cripta para o príncipe.

Quando ele está levando a moça morta, a cripta quebra e ela cospe o pedaço de maçã envenenado.

Os dois se apaixonam e fazem uma grande festa de casamento.

A madrasta é convidada e, em vingança ao mal que ela fez à Branca de Neve, lhe é oferecido sapatos de ferros que foram deixados por muito tempo na brasa.

A madrasta dança com esses sapatos e cai morta.

Deixe Um Comentário