O mistério em torno do navio Mary Celeste

0

Um dos grandes mistérios das histórias náuticas, o Mary Celeste foi um navio bergantim mercante anglo-americano. Este navio ficou famoso após ser descoberto no Oceano Atlântico em 05 de dezembro de 1872 completamente abandonado e vazio. No entanto, não haviam sinais de lutas e violência.

O navio foi avistado por marinheiros do Dei Gratia, um navio mercante comandado pelo capitão David Morehouse. O capitão ordenou que sua tripulação verificasse o navio, foi quando descobriram que todos haviam sumido.

Sete tripulantes e dois passageiros do navio haviam desaparecido e também faltava um bote salva-vidas. A tripulação nunca mais foi vista e este é considerado um dos grandes enigmas de todos os tempos.

O mais curioso é que o tempo estava bom e, acima de tudo, a tripulação no navio era formada por marinheiros experientes e acostumados a lidarem com o mar.

No diário de bordo, não estava relatado nada relacionado a um mal tempo. O último registro de bordo foi escrito no final de novembro, a cerca de 160 quilômetros de Açores.

Além disso, o navio estava em condições perfeitas de navegabilidade e com as velas levantadas. Os pertences da tripulação também foram deixados para trás, inclusive itens de valor.

A viagem do Mary Celeste

A viagem do navio Mary Celeste começou em 7 de novembro de 1872 e zarpou da Ilha de Staten, Nova Iorque, com destino Gênova, na Itália. A navegação ia em direção ao Estreito de Gibraltar, no Mar Mediterrâneo.

O navio estava navegando por mais de um mês. Contudo, ainda possuía suprimentos para mais de seis meses, já que o compartimento de cargas estava totalmente abastecido.

A tripulação do navio era composta pelo capitão Benjamin Briggs e sete marinheiros. O navio também levava a mulher e a filha do capitão de dois anos que passariam férias na Itália.

O navio transportava para a Itália uma carga valiosa de barris de álcool industrial.

O desaparecimento da tripulação do Mary Celeste

Os questionamentos acerca do desaparecimento da tripulação do Mary Celeste geram muitas especulações.

Há que diga que a tripulação poderia ter sumido por conta de causas naturais, como tromba d’água e maremotos.

Outra hipótese seria que o desaparecimento foi causado por ações humanas, como motim da tripulação ou ainda ataques de piratas. No entanto, a carga a bordo do navio também permanecia intacta, o que faz com que se questione a hipótese de ataque de piratas.

E, é claro, há ainda teorias que envolvem eventos sobrenaturais, como abdução coletiva da tripulação por extraterrestres ou ainda ataques de monstros marinhos mitológicos.

O que aconteceu com o navio depois?

O Mary Celeste foi rebocado pelo navio Dei Grati até o Estreito de Gibraltar. Lá, as autoridades norte-americanas e a corte britânica julgariam a concessão do seguro aos responsáveis pelo resgate.

No entanto, a corte desconfiava que a tripulação do Dei Gratia pudesse ter cometido crime de dano. Assim, foi condedido apenas a sexta parte do valor do seguro do navio e de sua carga.

Depois de um tempo sem que nada fosse descoberto, o navio foi vendido e ainda usado por 12 anos para o transporte de mercadorias. Porém, em uma tentativa frustrada de receber o valor do seguro, o último dono do navio o afundou propositalmente na costa do Haiti.

Os restos do bergatim foram encontrados em 2001 durante uma expedição liderada por Clive Cussler e pelo produtor Jphn Davis.

Deixe Um Comentário