O Mistério do Triângulo das Bermudas

0

O Triângulo de Bermudas está localizado no Oceano Atlântico, entre a Flórida, Ilhas Bermudas e Porto Rico. Desde 1945 o Triângulo das Bermudas tem sido cenário de acontecimento no, mínimo, curiosas.

Mas por que tantos mistérios envolvem esse lugar?

Os primeiros desaparecimentos remontam do século XIX, quando um navio do governo japonês que foi ao local estudar o fenômeno e desapareceu com dezenas de estudiosos a bordo.

Um barco francês desaparecido em 1840 foi encontrado na região navegando com sua carga intacta, mas sem nenhum vestígio da tripulação.

Neste ano, desapareceram na região cinco Torpedos da Marinha Americana com 14 tripulantes e um avião que ajudava no resgate. Após esse incidente, outras 75 embarcações e aviões desapareceram no Triângulo das Bermudas.

O último desaparecimento ocorreu em 2015, quando o navio El Faro sumiu sem deixar nenhuma pista.

Et’s? Maldições? Condições climáticas? São muitas as hipóteses para o que acontece no Triângulo das Bermudas.

A origem do nome

Em 1790, o barco do navegador espanhol Juan de Bermúdez naufragou na área.

Contudo, o navegador conseguiu sobreviver e chegou nadando até uma ilha, que ele nomeou com seu sobrenome “Bermudas”. Daí surgiu a denominação do local, que já era descrito nas cartas marítimas como um local de grandes tempestades.

A região também é conhecida como “Mar do Diabo”, “triângulo Maldito”, Triângulo da Morte”, Cemitério dos Barcos” e “Triângulo Maldito”.

Buscando explicar o mistério do Triângulo das Bermudas

Uma das possíveis explicações para o fenômeno é que a região sofreria de distúrbios no campo eletromagnético da Terra, o que causariam as grandes catástrofes.

Um dos problemas mais citados no local é que as bússolas entram em pane. Isso poderia estar ligado às anomalias magnéticas do local.

Outras teorias dizem ainda que o local seria um vórtice da quarta dimensão, uma área de abdução extraterrestre, resíduos da civilização de Atlântida e dentre outras explicações.

A presença de gás metano do fundo do oceano também foi levantada em consideração por diversos estudiosos. A liberação do metano reduziria a capacidade de flutuação do navio, fazendo com que ele afundasse. Além disso, o metano também poderia provocar explosões.

Essa teoria está longe de ser unanimidade entre os pesquisadores.

Em 1975, no livro “O Mistério do Triângulo das Bermudas – Resolvido”, o ex-piloto americano Larry Kusche deu uma solução mais simples para o mistério.

Ele acredita, que as tempestades seriam as causadoras da maioria dos naufrágios e que os aviões que despareceram em 1945, teriam caído no mar por falta de combustível.

Mistério revelado

Um estudo feito por cientistas da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos, apontou a partir de fotografias feitas por satélites, que na área do Triângulo das Bermudas há nuvens hexagonais que atuam de forma semelhante a uma bomba atômica.

Essas nuvens provocariam correntes de ar tão fortes que chegariam alcançar a velocidade de 274km/h, o que faz com que o ar, literalmente, “exploda”, provocando no oceano ondas gigantescas que chegam a atingir 15 metros de altura.

Os pesquisadores notaram que esse fenômeno não ocorre em nenhuma outra parte do planeta, sendo uma anomalia da região que ainda não foi explicada.

Aviões, navios e submarinos desapareceram sem deixar rastro, enquanto algumas embarcações reapareceram apenas décadas depois do desaparecimento.

Deixe Um Comentário