Os mistérios do Codex Gigas, a Bíblia do Diabo

0

Também conhecido como “A Bíblia do Diabo”, o Codex Gigas é tido como maior manuscrito medieval existente no mundo. Acredita-se que o livro foi concluído entre 1229 e 1230.

Muitos mistérios envolvem esse livro, que possivelmente foi escrito no mosteiro beneditino de Podlažice, na Boémia, onde atualmente é a República Checa.

Por conta de dificuldades financeiras, os monges teriam penhorado o livro ao mosteiro de Sedlec. Contudo, o Codex Gigas voltou para a posse dos beneditinos em 1295.

A capa do manuscrito é de madeira e revestida de couro. Nos cantos e centro há ornamentos metálicos. O material possui 310 páginas de papel velino, que era produzido a partir da pele de bezerros e muito usado na época para a confecção pergaminhos.

Cerca de 160 animais foram mortos para fazer o livro que tem quase um metro de comprimento e pesa 75 quilos.

A lenda do Codex Gigas

Há uma lenda que diz que o manuscrito medieval é amaldiçoado, pois teria sido o motivo de desastres, mortes e doenças para as pessoas que o possuíram.

Isso porque, o livro teria sido escrito por um monge que rompeu com os votos e como punição foi condenado a ser emparedado vivo.

Para não ser condenado à essa morte trágica, o monge teria prometido criar um livro em uma única noite. Este livro  seria uma exaltação a Deus e iria conter todo o conhecimento humano.

Para cumprir a promessa, o monge fez uma oração a Lúcifer prometendo sua alma se concluísse o livro no prazo.

Dessa forma, o livro teria sido feito e a ilustração do diabo na página 577 seria uma forma de agradecimento.

Teoria em torno do Codex Gigas

A teoria mais aceita para o Codex Gigas é que ele foi escrito por um monge condenado à reclusão. Por isso, o manuscrito seria fruto do trabalho de uma vida e não apenas de uma única noite.

Esta versão ganha força quando observada uma dedicatória que há no final do livro, que diz: “hermanus inclusus”. Esses dizeres significam “Herman, o enclausurado”.

Devido a escrita ser uniforme durante todo o texto, acredita-se que todo o livro foi escrito por uma só pessoa.

Recriando o Codex Gigas nos dias de hoje

Um experimento feito pela National Geographic provou que para recriar o manuscrito medieval sem as ilustrações seria preciso trabalhar nele dia e noite durante cinco anos. Por isso, estima-se que o escriba tenha levado pelo menos 25 anos para terminar o livro.

Os pesquisadores também acreditam que algumas páginas podem ter sido arrancadas do livro.

Livro está guardado em biblioteca na Suécia

O Codex Gigas está preservado na Biblioteca Nacional da Suécia, em Estocolmo. Lá, é possível conferir uma réplica com partes digitalizadas do livro original.

O manuscrito foi parar lá após de ter sido levado para Praga, em 1594, para fazer parte da coleção de Rodolfo II, Rei da Hungria, Croácia e Boêmia.

Em 1648, ao final da Guerra dos Trinta Anos, a coleção completa foi saqueada pelo exército Sueco é levada para a Biblioteca Nacional.

Os detalhes da confecção do livro estão longe de ser conhecidos. Por esse motivo, mesmo tendo sido escrito há muitos séculos, o Codex Gigas se mantém como uma das obras mais intrigantes da humanidade.

Deixe Um Comentário