Os mistérios em torno do Santo Sudário

0

O Santo Sudário ou Sudário de Turim é uma peça de linho que mostra a imagem de um homem. Os cristãos acreditam que o tecido cobriu o corpo de Jesus Cristo após sua morte na crucificação.

O Sudário se encontra na Catedral de Turim, em Turim, na Itália desde o Século XIV.

As características do Santo Sudário

O Sudário de Turim é uma peça de linho em formato retangular, medindo 4,5m de comprimento e 1,1m de largura.

O tecido possui gravado a imagem de um homem que se estima ter cerca de 1,83cm de altura. O homem parece ter sido crucificado e tem feridas profundas.

Em 1898, Secondo Pia, um fotógrafo italiano, fez a primeira fotografia no sudário.

No negativo da fotografia observou-se que o que estava gravado no tecido se assemelhava a imagem positiva de um homem. Dessa forma, o tecido se constitui em um negativo.

Em 1978, em uma das poucas vezes em que o Santo Sudário foi mostrado ao público, foi dito que por meio de raio-X é possível distinguir os ossos articulados, as mãos cruzadas e os pulsos machucados por pregos, além de um perfil comprido e angular de um rosto.

Referencias do Santo Sudário na Bíblia

Uma das primeiras referências da existência do Santo Sudário está no Evangelho de Mateus. Nele é relatado que José de Arimateia envolveu o corpo de Jesus com um pano de linho limpo.

No Evangelho de João também há o relato de que os apóstolos João e Pedro visitaram o túmulo de Jesus após a ressurreição e se depararam com lençóis dobrados.

A primeira vez que o Santo Sudário foi mencionado fora da Bíblia foi em 544 quando um tecido que se acreditava mostrar a face de Jesus foi encontrado escondido sob uma ponte em Edessa, na Turquia.

As primeiras descrições falam de um pedaço de pano quadrado que mostrava a face e Jesus após a crucificação.

O monge e sacerdote João Damasceno (645 – 749), em sua obra intitulada “Sobre as Imagens Sagradas” descreve a relíquia como uma faixa comprida de tecido e afirma que a imagem de Jesus foi transferida quando ele ainda estava vivo.

Teste de DNA faz revelação sobre origem do Sudário de Turim

Enquanto os religiosos acreditam na autenticidade do Sudário de Turim, um teste de carbono-14 realizado em 1988 aponta o contrário. O teste que permitiu saber a idade do tecido a partir dos átomos presentes nele indicou que as fibras datavam de entre 1260 e 1390, isto é, mais de mil anos depois da crucificação.

Em 2005 foi realizado um exame de DNA que teria apontado que o tecido tem entre 1.300 a 3.000 anos. Dessa forma, como Jesus Cristo teria morrido a cerca de 2.000 anos pode-se dizer que os resultados são inconclusivos.

No entanto, há um detalhe que conta a favor da legitimidade do sudário. O químico do Laboratório Nacional Los Alamos, nos EUA, que fez o novo exame argumentou que o material testado em 1988 foi feito em um pedaço aplicado ao tecido nos tempos medievais.

O fato é que os mistérios em torno do Santo Sudário continuam. Contudo, não resta dúvida de que o Santo Sudário é a maior relíquia do catolicismo.

Deixe Um Comentário