Teria a lendária Atlântida existido?

0

A existência da lendária Atlântida e de sua civilização é um mistério que perdura até os dias de hoje. Muitas são as especulações e teorias em torno do chamado “continente perdido”.

Há quem acredite que a terra perdida fosse realmente um continente. Já outros, pensam que se tratava de uma ilha com uma civilização bastante avançada.

Os primeiros registros de Atlântida

O filósofo Platão (427 a.C. – 347 a.C.) foi o primeiro a falar em seus escritos sobre a existência de Atlântida. Ele descreve Atlântida como um grande continente que estava situado no Oceano Atlântico, a oeste do Estreito de Gibraltar.

Segundo os escritos do filósofo, a civilização perdida seria uma potência naval que conquistou uma grande parte da Europa Ocidental e da África. Essas conquistas teriam ocorrido há cerca de 1.000 anos antes da era de Salon (aproximadamente 9.600 a.C).

Contudo, muitos pesquisadores defendem a teoria de que as narrativas platônicas foram inspiradas em outras civilizações e eventos e que o lugar nunca existiu.

A lenda de Atlântida

A civilização de Atlântida é descrita como extremamente evoluída. Seria o tipo de sociedade perfeita para servir de lar para os descendentes de Atlas, filho de Poseidon, que é tido pela mitologia grega como o Deus do Mar.

A agricultura seria extremamente desenvolvida e as terras ricas em minerais. De acordo com as narrativas lendárias, no local estava construído o Palácio de Poseidon, que teria o teto de marfim, paredes de cobre, revestimento de prata e cercado por uma muralha de ouro.

O fim de Atlântida

O que teria causado a destruição de uma civilização tão avançada que não deixou nenhum vestígio?

As especulações são muitas. Dentre elas, Platão defende que Atlântida foi sepultada por ocorrências naturais, como terremotos e maremotos que teriam submergido a civilização.

Roger Paranos, que escreveu o livro “Akhenaton – A Revolução Espiritual do Antigo Egito“, levanta a teoria de que Atlântida teria sido destruída por um cometa.

Esta teoria se apoia no fato de o Cometa Clóvis ter causado um impacto na Terra entre os anos de 12.900 e 10.900. Este evento teria desencadeado a era glacial.

Outra hipótese é a de que Atlântida teria sido sucumbida pela ganância e por ter tentado dominar diversos povos do mundo. Em uma dessas batalhas de ocupação, seu povo teria sido dizimado.

Há ainda quem diga que essa civilização previu que estava prestes a ser destruída e, por isso, teria migrado para a África, o que faz com que os antigos egípcios sejam seus descendentes.

Entre tantas teorias, ainda não há um indício concreto de que o lugar realmente existiu.

Em busca do continente perdido

Uma cidade submersa foi encontrada a 700 metros de profundidade, a noroeste da costa de Cuba. Isso causou diversas especulações de que poderia se tratar de Atlântida.

A descoberta foi feita por um grupo de cientistas japoneses na região que é conhecida como o Triângulo das Bermudas. Entre as ruínas, é possível distinguir pirâmides gigantescas, edifícios e monumentos semelhantes a esfinges.

Alguns pesquisadores afirmam que se trata de ruínas de uma civilização que viveu no período pré-clássico.

Na parte sul da Espanha, imagens capturadas por um satélite mostram resquícios de construções que poderiam ser de Atlântida.

O pesquisador Manuel Cuevas, responsável pela imagens, defende a tese de que a civilização perdida está em solo espanhol.

Atlântida serviu de inspiração na literatura e na arte

Durante o período da Antiguidade Clássica, o questionamento da existência de Atlântida gerou uma grande polêmica. Entretanto, essa questão foi deixada de lado na Idade Média.

Na Era Moderna, o tema ressurgiu, servindo de inspiração para diversos trabalhos de escritores do período do Renascimento.

Até os dias de hoje, Atlântida inspira os mais diversos tipos de arte.

Deixe Um Comentário