6 maiores roubos de todos os tempos

0

Grandes roubos foram retratados em filmes e em séries como “La Casa de Papel”, onde um roubo bilionário foi praticado.

Contudo, há histórias semelhantes na vida real em que milhões em notas, barras de ouros, diamantes e até mesmo obras de artes foram roubados.

Alguns desses casos seguem sem solução até hoje. Veja a lista com 6 maiores roubos de todos os tempos:

6° – Roubo à joalheria Harry Winston – US$ 108 milhões

Em dezembro de 2008, a joalheria de luxo Harry Winston de Paris sofreu um assalto. Quatro homens levaram uma quantia avaliada em pelo menos 85 milhões de euros, cerca de 108 milhões de dólares.

Dois dos ladrões entraram na loja disfarçados de mulher. Os criminosos possuíam informações precisas sobre a joalheria ao ponto de chamar alguns funcionários pelo nome e saber onde as jóias eram guardadas.

Este foi o maior dos roubos de joalheria da França.

5° – Roubo de pedras preciosas na Bélgica – US$ 108 milhões

Em 15 de fevereiro de 2003, integrantes da Escola de Turim, que é uma quadrilha conhecida por roubos de grande porte, mas sem o uso da violência entraram no Centro de Diamantes da Antuérpia, na Bélgica.

Os ladrões saíram do local com um carregamento de pedras que valia o equivalente a US$ 108 milhões.

Para acessar o prédio, considerado um dos mais seguros do planeta, Leonardo Notarbartolo e mais três companheiros se prepararam por 27 meses.

Eles se passaram por joalheiros e alugaram um escritório no edifício belga para conhecer a rotina e posicionamento das câmeras.

O grupo aprendeu como acessar o subsolo do prédio, onde estavam as pedras preciosas e diversos outros tesouros. Além disso, descobriram como desabilitar os alarmes. Em somente seis horas, 109 dos 189 cofres do edifício foram limpos.

A história deu origem a um livro “O roubo brilhante”, de Scott Andrew e Greg Campbell e também ao filme “Diamante de Sangue”, de 2006.

4° – Diamantes roubados de empresa de aviação – US$ 118 milhões

Em 2005, quatro homens roubaram um caminhão e uniformes da empresa de aviação KLM em Amsterdã, na Holanda.

Esses artifícios foram usados para eles entrarem em um aeroporto e roubar a maior quantidade de diamantes já registrada na história.

Os criminosos renderam os funcionários reais da KLM e pegaram as malas com diamantes do avião que havia aterrissado.

Ao colocar tudo no caminhão, eles dirigiram para o mais longe possível. A carga totalizava mais de US$ 118 milhões.

Vários suspeitos foram presos, mas o caso nunca foi totalmente solucionado.

3° – Museu de Boston – US$ 300 milhões

Em 1990, dois ladrões vestidos de policiais convenceram dois guardas do Museu de Boston de que eles deveriam entrar no local para solucionar algum tipo de problema que estava ocorrendo.

Ao entrar no Museu, os criminosos algemaram os seguranças e passaram cerca de uma hora selecionando peças de arte para levar.

Foram roubadas doze obras, incluindo três quadros de Rembrandt e um de Vermeer. O valor dos quadros é de cerca e US$ 300 milhões.

O caso nunca foi solucionado e até hoje o governo norte-americano oferece uma recompensa generosa (US$ 5 milhões) para quem tiver alguma pista.

2° – Roubo de títulos de financiamento – US$ 400 milhões

Em Londres, em maio de 1990, o correspondente de corretores John Goddard foi esfaqueado e teve sua maleta roubada.

Na bolsa havia mais de US$ 400 milhões de dólares em títulos de financiamentos.

Os títulos pertenciam ao portador, ou seja, poderiam ser apresentados em qualquer banco para que o dinheiro fosse sacado.

Quase todos os títulos foram recuperados (menos dois deles) e o ladrão, Keith Cheesman, foi condenado a seis anos e meio de prisão.

1° – Banco Central do Iraque – US$ 1 bilhão

Em 2003, Qusai, filho de Saddam Hussein, foi ao Banco Central do Iraque com um documento assinado pelo próprio Saddam. O termo exigia a retirada de cerca de US$ 1 bilhão.

Como o pedido era de Saddam Hussein, os funcionários não tiveram como recusar e o saque foi feito com mais de 900 milhões em notas de dólares e 100 milhões em outras notas.

O dinheiro foi transportado em três caminhões. A estimativa é que o valor equivalia na época a um quarto da riqueza total do país.

Do total, US$ 650 milhões foram recuperados. Contudo, o restante do dinheiro, aproximadamente US$ 350 milhões nunca foi encontrado.

Este, que é provavelmente o maior de todos os roubos, aconteceu pouco antes de Bagdá ser bombardeada pelos Estados Unidos.

Deixe Um Comentário