Chuva de aranhas: Um fenômeno arrepiante

0

Você já se imaginou no meio de uma chuva de aranhas? Isso mesmo, milhares de aranhas caindo do céu!

Este fenômeno ocorre em diversas partes do mundo, sendo mais frequente em regiões com altas temperaturas e umidade.

Vale ressaltar que as aranhas possuem um papel importantíssimo no meio ambiente, no que diz respeito ao controle dos insetos.

Esses aracnídeos são um dos poucos animais que conseguem viver em qualquer lugar do planeta, inclusive nos hostis com baixa temperatura como a Antártida.

Por que ocorre a chuva de aranhas?

A chuva de aranhas ocorre por conta da reprodução desenfreada de aranhas e a falta de predadores naturais, o que faz com que não haja o equilíbrio natural.

O clima úmido e quente é favorável para que as aranhas se juntem e formem grandes ninhos. Elas se organizam dessa forma para poder capturar outros insetos para comer.

As teias, que são os fios de seda lançadas pelo abdômen dos aracnídeos, são tecidas, frequentemente, pelas fêmeas, mas na chuva de aranhas os machos também produzem as teias. Por isso, os locais acometidos pelas chuvas de aranhas ficam rapidamente tomados de teias.

Como as teias são transparentes, a impressão é de que as aranhas estão caindo do céu, o que parece uma chuva. Entretanto, elas apenas estão deslizando em suas teias.

Os fios agem como uma espécie de paraquedas. Por esta razão, a chuva também é chamada de balonismo.

As árvores e pastagens, por vezes, ficam cobertas de teias, o que é denominado de “cabelo de anjo”.

Fenômeno ocorre em diversas partes do mundo

A chuva de aranha já foi registrada em países como Brasil, Peru, Estados Unidos, na Alemanha, mais especificamente na cidade de Goulburn e na região de Tablelands, nordeste da Austrália.

É comum carros, plantações e casas amanhecerem com uma camada espessa de teia de aranha. Esse emaranhado de fios de sedas abriga vários filhotes, o que faz com que os moradores fiquem bastante assustados.

Em 2013, este fenômeno ocorreu em Santo Antônio da Platina, no Paraná. E em 2015, em Aparecida, distrito de São Manuel, em São Paulo, também presenciou a chuva de aranhas.

Em São Paulo, foi preciso que as aranhas fossem removidas e levadas para uma área mais afastada. Elas apareciam sempre às 19h e deixavam as ruas das cidades tomadas de teias.

Aqui no Brasil, a chuva de aranhas ocorre com a presença da espécie “tecedeira-sombria” (Anelosimus eximius).

Anelosimus eximius

Esta espécie é considerada agressiva. A picada, apesar de o veneno não representar perigo, é dolorosa e o contato do aracnídeo com humanos pode causar reações alérgicas, que em pessoas debilitadas pode ocasionar o choque anafilático.

Um verdadeiro pesadelo para quem tem aracnofobia

Se a chuva de aranhas já é algo assustador por si só, esse medo aumenta para quem tem aracnofobia, que é um medo surreal de aranhas.

O aracnofóbico busca ficar longe de locais que possam ter aranhas e o contato com esses animais podem acarretar sintomas como mal-estar, dificuldade para respirar, desmaio, ataque de pânico e etc.

Deixe Um Comentário