Como viviam os lendários piratas?

0

A Era de Ouro da Pirataria durou poucos anos. Contudo, a história dos piratas rendeu grande inspiração para a literatura, cinema, teatro e outras artes diversas.

O pirata é uma espécie de transgressor que organizado em grupos cruza os mares para promover saques e dominar navios com o objetivo de obter riquezas e poder. Esse processo pode ser bastante violento.

O estereótipo que mais conhecemos na atualidade se refere ao filme Piratas do Caribe, que é baseado na Época Dourada da Pirataria, que ocorreu entre os séculos XVI e XVIII.

Piratas do Caribe – Imagem do filme

A história da pirataria

O primeiro a utilizar o termo pirata para descrever o processo de saque em navios foi Homero, na Grécia Antiga, na Odisseia.

A pirataria foi praticada inicialmente por volta de 735 a.C por gregos que roubavam mercadores fenícios e assírios.

A pirataria tomou proporções gigantescas quando uma frota de aproximadamente mil navios piratas atacou e destruiu uma frota romana, além de ter saqueado aldeias no sul da Turquia.

Na Idade Média, a pirataria foi praticada por normandos que atuavam nas ilhas britânicas, império germânico e França, se estendendo até ao Mediterrâneo e ao Mar Morto e também pelos Muçulmanos.

Do fim do século XVI até o século XVIII, o Mar do Caribe era área frequente de ataque dos piratas que buscavam o Ouro e a Prata que a Espanha enviava para as áreas colonizadas, o chamado Novo Mundo.

Como eram as tripulações dos piratas

As tripulações de piratas eram formadas por pessoas de tipos variados. Entretanto, grande parte desse grupo era composto por homens com grande conhecimento do mar que buscavam por riquezas e também liberdade.

Alguns desses homens eram escravos fugitivos e servos sem rumo. Em geral, havia democracia entre as tripulações e o capitão era escolhido por votação e podia ser retirado do posto a qualquer momento.

Vale ressaltar que os piratas são considerados alguns dos precursores em relação aos conhecimentos da navegação marítima.

Os navios pequenos e rápidos eram os preferidos pelos piratas por serem mais ágeis para a fuga. O ataque era realizado corpo a corpo e os piratas andavam armados.

Além de saquear navios, ocasionalmente os piratas atacavam também cidades.

Alguns piratas que fizeram história

O pirata Barba Negra, Edward Teach, é o mais famoso da sua geração.

Um de seus costumes era colocar fusíveis acesos em sua barba. A fumaça que soltava o deixava com uma aparência assustadora.

As roupas que ele usava eram luxuosas, pois eram roubadas da aristocracia. Barba Negra morreu em uma batalha com a Mabrinha britânica.

Edward Teach, o pirata Barba Negra

Outro pirata bastante conhecido é Bartholomew Roberts, o Black Bart, que é tido como o pirata mais bem sucedido do Caribe.

Black Bart participou, entre os anos de 1719 a 1722, da captura e saque de centenas de navios, inclusive no Brasil, já que sua tropa também navegou para a costa da América do Sul em busca de tesouros.

Depois de várias semanas sem encontrar nada, a tropa de Black Bart avistou uma frota de tesouros que Portugal estava levando para fora do Brasil e conseguiu se apoderar de um dos navios sem que ninguém percebesse.

Bartholomew Roberts, o pirata Black Bart

E também haviam piratas mulheres. Anne Bonny é uma das piratas mais conhecidas de sua época.

Anne era amante do também pirata inglês Jack Rackham, conhecido como “Calico Jack”, e trabalhava no navio em par de igualdade com os outros piratas homens.

Uma das piratas mulheres mais famosas foi Anne Bonny

Além de Anne, Mary Read também fazia parte da tropa de “Calico Jack”. Contam as histórias, que ela teria se disfarçado com roupas masculinas para fazer parte da tropa.

Quando Marry e Anne foram capturadas elas seriam julgadas de pirataria e enforcadas. Como mulheres grávidas estavam isentas da forca, as duas seduziram os guardas na prisão para engravidarem.

Mary Read, uma das mulheres piratas que faziam parte da tropa do navio de Calico Jack
Share.

Leave A Reply