Depressão: A doença considerada o mal do século

0

A depressão é uma doença psiquiátrica crônica, que tem como principal característica tristeza profunda, sentimento de desesperança, baixa autoestima e alteração de humor.

O quadro pode também ocasionar distúrbios do sono e de apetite.

Como identificar a depressão

É essencial distinguir a depressão daquele momento que você se sente triste por algum acontecimento difícil ou desagradável.

Todo mundo se sente triste em algum momento de adversidade. Mas, em casos de depressão a tristeza é constante e sem uma causa aparente.

A pessoa fica triste por dias seguidos. A doença incapacita e faz com que haja a perda de interesse por atividades cotidianas que anteriormente davam prazer.

Para quem tem depressão, pode ser difícil até mesmo se levantar da cama, tomar um banho ou se alimentar. O sentimento de desesperança é tão grande que o paciente não tem perspectivas ou esperança de melhora.

As causas da doença

Há estudos que apontam que a depressão é causada por uma disfunção bioquímica no cérebro que pode ocorrer até mesmo por fatores genéticos.

Há também os considerados gatilhos de crise, como acontecimentos traumáticos, consumo de drogas, estresse, doenças como o hipotireoidismo e etc.

As mulheres aparentam estar mais vulneráveis por conta da oscilação hormonal que são expostas no período menstrual e fértil.

Os sintomas da depressão e o diagnóstico

A depressão atinge cerca de 350 milhões de pessoas em toda o mundo, incluindo crianças e adolescentes.

Assim, os sintomas são um alerta para que se procure ajuda médica. Além de tristeza constante, a pessoa deprimida pode apresentar:

  • Distúrbio do sono (sonolência ou insônia excessiva);
  • Cansaço constante;
  • Alteração de peso;
  • Pensamentos suicidas recorrente;
  • Sentimento de culpa ou inutilidade;
  • Dificuldade de foco e concentração;
  • Alteração na libido;
  • Dificuldade de socialização (fobia social);
  • Episódios recorrentes de ansiedade e síndrome do pânico;
  • Perda de interesse em atividades cotidianas;
  • Problemas de autoimagem e autoestima.

O diagnóstico é feito com base nos sintomas e histórico do paciente.

O tratamento da doença

O tratamento da depressão é definido de forma individual e de acordo com a gravidade do caso.

Casos mais leves costumam ser tratados com psicoterapia. Enquanto para casos mais graves, o mais indicado é uso de antidepressivos para que a pessoa possa sair da crise e voltar a ter uma vida normal.

Há casos que exigem ainda a associação de ansiolíticos e antipsicóticos.

Os medicamentos podem levar de duas a quatro semanas para fazer efeitos e só o psiquiatra pode fazer a recomendação de acordo com cada caso.

Há também evidências que fazer exercícios físicos ajuda como associação com os tratamentos por causa da liberação de serotonina e da sensação de bem-estar causada.

O mais importante é que na identificação de sintomas procurar um médico para que o tratamento seja iniciado o quanto antes.

A depressão tem cura?

Por se tratar de um problema crônico, não podemos falar de cura da depressão.

Mas, com o tratamento adequado é possível que o paciente retome a vontade de viver e os sintomas e crise desapareçam.

Neste sentido, a psicoterapia é muito importante tanto para um processo de autoconhecimento que visa identificar o que causou o quadro, como também para que se desenvolva mecanismos de defesa para lidar com os momentos de crise.

Deixe Um Comentário