Entenda como ocorre o fenômeno da superlua

0

A superlua, que também é chamada de superlua cheia, ocorre quando a Lua cheia se encontra próxima de seu perigeu.

O perigeu é o ponto em que um satélite ou astro se encontra mais próximo da Terra.

Como a órbita lunar é elíptica, quanto mais próximo de seu perigeu ela estiver na Lua cheia, maiores serão seu tamanho e brilho ao ser observada na Terra.

Para um observador da Terra, a Lua nessas condições fica com um diâmetro até 14% maior. Já em relação ao brilho, o aumento é de até 30% em relação à Lua cheia normal.

Como ocorre o fenômeno da superlua

A órbita da Lua em torno do nosso planeta é feita em elipse. Isso faz com que a Lua fique por vezes mais próxima da Terra (perigeu) e também mais distante (apogeu).

A superlua ocorre quando a Lua fica cheia no momento em que passa pelo perigeu. Quando a lua está em seu apogeu ocorre a microlua.

Como foi definido o conceito de Superlua

O termo “superlua” foi dado, pela primeira vez, pelo astrólogo Richard Nolle, em 1979.

A definição do astrólogo é que para ser considerada “super” a Lua deveria estar em uma distância de pelo menos 363 mil quilômetros em relação à Terra.

Como a órbita que a Lua faz ao redor da Terra não é um círculo perfeito, a distância entre a Lua e a Terra varia entre 363 mil e 405 mil quilômetros.

Quando ocorre o fenômeno e como visualizar melhor

A superlua costuma ocorrer a cada 14 Lua cheias, mas isso pode variar para mais ou menos tempo.

O melhor horário para se observar é logo após o pôr-do-sol, onde ocorre a “ilusão da Lua”, que é quando o satélite está perto do horizonte, o que faz com que ela pareça ainda maior.

Quanto mais longe da luz da cidade, melhor é para ver o satélite também.

Curiosidades sobre a superlua

Em 14 de novembro de 2016, ocorreu um fenômeno em que a Lua ficou a somente 355 mil quilômetros de distância da Terra. O satélite não era visualizado com tamanho e brilho tão intensos desde 1948. A Lua só estará novamente tão próxima da Terra em 2034.

Em 2018, houve duas superluas seguidas, que foi no dia 2 e 32 de janeiro.

Quando esse fenômeno ocorre, a segunda lua é chamada de superlua azul. Duas superlua tão próximas só vai ocorrer novamente em 24 de dezembro de 2026.

Em 2019, ocorrerá três superluas: Uma em 21 de janeiro, que também coincide com o eclipse lunar total, sendo também chamada de “Lua de Sangue”. As outras em 19 de fevereiro e 19 de março.

A superlua de fevereiro foi a mais brilhante.

Mitos sobre a superlua

A cultura popular considera a Lua cheia como uma fase intensa, que mexe com o ciclo das águas (marés) e também estaria relacionada a ocorrências naturais.

A superlua cheia seria um período mais propenso para a ocorrência de desastres naturais, como tempestades, tsunamis, sismos e atividades intensas de vulcões.

Outro mito é que a Lua cheia também mexe com as emoções das pessoas, em especial das mulheres. Assim, quando a Lua está em seu perigeu, essas emoções também seriam sentidas de forma mais intensa.

Deixe Um Comentário