Marte: Corrida espacial rumo ao planeta vermelho

0

Marte é quarto planeta a partir do sol. Sua cor avermelhada se deve a predominância do óxido de ferro. O planeta é rochoso com uma atmosfera fina e sua superfície lembra as crateras da Lua.

Na segunda década do século XXI, Marte passou a ser alvo de disputas, assim como ocorreu com a órbita lunar entre as décadas de 1950 e 1960. Isso porque, as grandes potências mundiais ambicionam conquistar o planeta vizinho da Terra.

A Agência Espacial dos Estados Unidos (NASA) envia sondas e aeronaves para fazer o estudo do chamado “planeta vermelho”.

Ao longo dos anos, estão sendo desenvolvidas tecnologias cada vez mais modernas para que se possa suportar as condições climáticas de Marte e estudar a superfície do astro. Desse modo, no futuro, o que se espera é que seja possível enviar pessoas para lá.

Astronauta diz que é estupidez enviar humanos à Marte

O astronauta Bill Anders, que foi piloto do módulo lunar Apollo 8, que foi, em 1968, o primeiro voo tripulado por humanos a deixar a órbita da Terra, declarou que seria uma estupidez enviar humanos à Marte.

Isso porque, de acordo com o astronauta aposentado, o público não estaria interessado na ida ao planeta vermelho e que não há um objetivo definido para isso.

William Anders (Bill Anders)

Anders apoia a ida de programas não tripulados, que possuem menor custo e declarou ainda que a NASA pouco evoluiu desde a ida do homem à Lua.

Missão à Marte é adiada pela NASA para retorno do homem à Lua

Em 2012, a NASA enviou o robô Curiosity para solo marciano. Esta não foi a primeira máquina enviada ao planeta e está longe de ser a última.

Curiosity em Marte

Marte é explorado desde a década de 1960. Contudo, este ano o governo norte-americano comunicou que pretende voltar à Lua em breve. A NASA anunciou que o retorno na Lua seria para daqui a somente cinco anos.

Esta seria uma pausa rumo à ida a Marte, que de acordo com o anúncio da agência norte-americana, a intenção para pouso no planeta vermelho seria somente em 2033.

Contudo, a China passou a conceder melhores condições em relação ao monopólio estatal de lançamento de foguetes, o que impulsionou a formação de empresas nacionais.

Essas empresas têm recebido investimentos bilionários, estando atrás somente dos Estados Unidos.

Nesta perspectiva, a China anunciou sua intenção em enviar um veículo para explorar marte a partir de 2020.

Além disso, a  Agência Espacial Europeia (AEE) e a Agência Japonesa de Exploração Aeroespacial (AJEA) já decidiram lançar uma missão exploratória a Mercúrio. Estas agências não escondem que também possuem o desejo de chegar à Marte.

Empresas bilionárias investem no turismo espacial

A corrida espacial sempre foi uma realidade entre as grandes potências. Atualmente, detentores de grandes fortunas investem até mesmo no turismo especial.

Entre essas empresas está a Blue Origin, que pertence a Jeff Bezos, magnata dono da Amazon com uma fortuna estimada em US$ 138 bilhões que já realizou com sucesso voos de teste com foguetes.

Jeff Bezos

A empresa ambiciona o transporte de cargas e até mesmo pessoas ao espaço. Além de ser uma das grandes entusiastas a investir na volta do homem à Lua.

Em relação aos voos de turismo espacial, ainda não há uma estimativa de data. Já os custos para quem deseja fazer essa viagem inusitada deve girar em torno de US$ 200 mil e US$ 300 mil.

Deixe Um Comentário