O mistério do desaparecimento de Amelia Earhart

0

Amelia Earhart foi pioneira na aviação nos Estados Unidos, sendo a primeira mulher a voar sozinha sobre o Oceano Atlântico. Além disso, Earhart também era defensora dos direitos das mulheres e sua experiência foi essencial para que as mulheres que desejam pilotar seguissem seus sonhos.

Amelia Earhart

Amelia, que nasceu no dia 24 de julho de 1897, desapareceu no Oceano Pacífico, próximo à Ilha Howland, no dia 2 de julho de 1937. Ela foi declarada morta no dia 05 de janeiro de 1939 e a sua vida e desaparecimento até hoje são motivos de fascínio.

Earhart foi uma mulher à frente do seu tempo

O amor de Amelia Earhart pela aviação começou quando ela ganhou um passeio de avião em 1920. Após isso, ela, que era assistente social, passou a ter aulas de pilotagem. Pensando à frente, Earhart começou a economizar o seu salário para comprar um avião.

Foi assim que ela conseguiu um bimotor de dois lugares que recebeu o nome de Canário, por ser amarelo. Nesta aeronave, Amelie bateu o primeiro recorde feminino na aviação, o de altitude. Ela conseguiu alcançar 14 mil pés, o equivalente a 4,2 mil metros, de altura.

Em 1924, no entanto, ela teve que vender o Canário para ajudar sua família que passava por problemas financeiros.

O desaparecimento de Amelia Earhart

Quatro anos depois de vender seu primeiro avião, Amelia voou de novo e foi a primeira mulher a cruzar os Estados Unidos, fazendo ida e volta.

Ela também passou a integrar com outros dois pilotos uma equipe que fez a travessia Estados Unidos – país de Gales em somente 21 horas.

Depois disso, ela quebrou diversos recordes de velocidade e distância e passou a ganhar a vida em concursos e fazendo apresentações.

Já na década de 1930, Amelia começou o planejamento de fazer sozinha a travessia do Atlântico, refazendo o voo pioneiro de Charles Lindbergh. Por 87 anos, ela foi a única mulher a realizar esse feito.

Charles Augustus Lindbergh: Pioneiro da aviação estadunidense
Charles Augustus Lindbergh: Pioneiro da aviação estadunidense

Em 1937, para comemorar seu aniversário de 40 anos, Amelia planejou uma volta ao globo. O início dessa jornada foi no dia 1º de junho. Amelia e o navegador Fred Noonan partiram de Miami para fazer o trajeto de mais de 43 mil quilômetros.

Amelia Earhart e Fred Noonan
Amelia Earhart e Fred Noonan

Após 28 dias, eles pousaram em Nova Guiné. Faltavam 10 mil quilômetros para completar o trajeto.

No dia 2 de julho ela decolou para terminar o percurso. A comunicação com o rádio foi perdida na manhã seguinte.

O avião desapareceu em algum ponto isolado do Oceano Pacífico. Após 16 dias, a Marinha dos Estados Unidos encerrou as buscas.

Plano de voo de Amelia e o local onde a comunicação com a pilota foi perdida

Ossos encontrados em 1940 foram apontados como sendo de Amelia

Em 1940, ossos encontrados na ilha Nikumaroro, cerca de 3 mil quilômetros de distância do Havaí seriam de Amelia.

De acordo com um estudo da revista Forensic Anthropology os ossos foram encontrados com um sapato de mulher, um instrumento de navegação usado por Noonan e uma garrafa de licor Benedictine, que era a bebida que Amelia levava nas viagens. Porém, estudos da época indicaram que ossos pertenciam a um homem.

Ilha Nikumaroro
Ilha Nikumaroro

Contudo, de acordo com Richard Jants, pesquisador da Universidade do Tennessee, a osteologia forense era deficiente em meados do século XX. No estudo que dizia que os ossos pertenciam a Amelia foi usado um software moderno que compara os ossos com as proporções do corpo.

Richard Jants, pesquisador da Universidade do Tennessee
Richard Jants

A conclusão foi que a pilota seria bastante parecida com a ossada encontrada na ilha.

Compartilhe.

Sobre o Autor

Criado para Informar, entreter e divertir os leitores, o Mundo Intrigante oferece conteúdo editorial de grande valor cultural e curiosidades diversas.

Deixe Um Comentário