As piores formas de morrer segundo a ciência

0

A morte é algo que inegavelmente chegará para todos. Contudo, há formas de morrer que realmente são apavorantes, seja por ser um método doloroso, lento ou os dois juntos.

De acordo com estudos científicos foram listadas as piores formas de morrer. Confira algumas delas:

1. Morrer de fome

Morrer de fome é um processo lento e sofrido. O nosso corpo acumula reservas de gordura (lipídios) que são usados quando nos é privado alimentos.

Quando a reserva de gordura acaba, o organismo começa a consumir os próprios músculos, ou seja, a massa muscular. Após isso, os órgãos são afetados, inclusive o coração.

Assim, a pessoa morre por conta de uma doença ou infecção, já que o sistema imunológico não consegue defender o organismo dos agentes nocivos.

Ainda que o indivíduo sobreviva às doenças, há um momento em que o corpo simplesmente deixa de sentir fome, pois entra em estado de falência.

Em geral, a morte ocorre por conta de ataque cardíaco.

2. Morrer de sede

Cerca de 70% do corpo humano é formado de água. Assim, se os níveis de água começarem a cair, a pessoa passa a ter dores terríveis.

Para manter o fluxo de sangue, o corpo começa a retirar água das células. As células do cérebro também começam a sofrer e diminuem de tamanho.

A consequência disso são dores de cabeça intensas, delírios, alucinações, câimbras nos músculos e muitas dores.

Os órgãos começam a entrar em falência. Os rins são os primeiros afetados e faz com que o corpo acumule toxinas que normalmente são liberadas pela urina.

O processo é bastante doloroso e pode durar dias.

3. Descompressão

Quando um ambiente pressurizado sofre uma descompressão, os órgãos e coluna vertebral  são expelidos para fora do corpo humano.

Exemplos de descompressão rápida são relatados em acidentes envolvendo submarinos e aviões comerciais.

Se a despressurização não ocorrer de forma rápida e instantânea, o ar que há no pulmão dilata e faz com que a sensação seja de queimação intensa no peito.

4. Morrer queimado

Morrer queimado é uma forma muito dolorosa. Enquanto está queimando, a pessoa continua consciente e sente a camada de pele derreter. Era assim as mortes na fogueira da Santa Inquisição, na Idade Média.

Contudo, 75% das mortes que ocorrem em incêndio são causadas por conta do envenenamento por monóxido de carbono, que ao se unir com a hemoglobina impede que o sangue transporte oxigênio, fazendo com que a pessoa morra intoxicada.

5. Crucificação

Tal qual o empalamento, a crucificação era um método muito usado antigamente tanto para tortura quanto execução.

Os condenados poderiam morrer por hemorragia ou asfixiados. Isso porque, ao ter as mãos e pés perfurados, a pessoa apoia seu corpo nessas extremidades.

Quando já não se tem mais forças, involuntariamente o corpo é projetado para frente, esmagando os pulmões e causando a morte por insuficiência respiratória.

Se a morte não ocorrer dessa forma ela se dará por conta da perda de sangue pelos ferimentos. Nesse caso, o indivíduo sangraria até a morte, o que poderia levar dias.

Deixe Um Comentário