Que segredos poderiam esconder a Lua Europa?

0

A Lua Europa é um dos quatro satélites naturais do planeta Júpiter. Ela é a sexta maior lua do Sistema Solar e foi descoberta em 1610 por Galileu Galilei. Esta foi a primeira vez que uma lua foi descoberta orbitando em um planeta que não fosse a Terra.

Lua Europa, a lua de Júpiter

A descoberta dessa lua foi essencial para a compreensão de que os planetas giram em torno do Sol e não da Terra.

As características da Lua Europa

A lua de Júpiter é somente um pouco menor que a lua da Terra, tendo um diâmetro de 3121,6 km.

Comparação de tamanho entre a lua da Terra e a lua de Júpiter
Comparação de tamanho entre a lua da Terra e a lua de Júpiter

A constituição dela é de rocha de silicato e também tem uma crosta de água-gelo. Assim, existe a hipótese de que de há um oceano de água líquida abaixo da camada superficial de gelo. O núcleo dessa lua é provavelmente de ferro-níquel.

A atmosfera é principalmente composta de oxigênio e a superfície estriada por rachaduras e com raríssimas crateras.

Ilustração: Superfície da Lua Europa

O movimento de órbita e a influência nas marés

A lua completa a órbita em torno de Júpiter a cada 3,5 dias. Ela sempre mostra a mesma face para o gigante planeta gasoso. Contudo, a sua órbita diferenciada e elíptica determina as alturas das marés, que é maior quando o satélite está próximo a Júpiter.

Lua Europa e Planeta Júpiter

Dessa forma, a intensidade das marés aumenta ou diminui o mar debaixo da crosta de gelo, o que causa uma movimentação constante, que provavelmente é a causa das rachaduras observadas nas imagens da superfície da Lua Europa.

Rachaduras na crosta da Lua Europa

O movimento constante das marés ocasiona ainda uma elevação da temperatura da lua, além do que é considerado normal. Mesmo a distância do Sol sendo cinco vezes maior que a da Terra e com a crosta de gelo, o calor do oceano da lua seria suficiente para manter a vida.

Nas imagens de satélite da Lua Europa é ainda possível ver campos escuros entre as rachaduras, que se acredita ser proveniente do impacto dos meteoros.

Imagem da Lua Europa capturada via satélite
Lua Europa: Imagens de satélite

O sub oceano da Lua Europa seria salgado

O oceano por debaixo da crosta de gelo da Lua Europa seria salgado. Esta conclusão foi tirada após ser encontrado Cloreto de Sódio na superfície da lua de gelo.

Desse modo, a composição dos oceanos do satélite de Júpiter poderia ser bastante semelhante aos da Terra, sendo assim, favorável ao surgimento de vida.

Ilustração: Presença de água sob a camada de gelo do satélite de Júpiter
Presença de água sob a camada de gelo da Lua Europa

Os mares da Terra são os únicos do universo que temos conhecimento de serem habitados. No entanto, de acordo com um estudo publicado na revista científica Science Advance, a potencial habitabilidade do oceano da Lua Europa depende da composição química das águas que devem ser estudadas para novas conclusões.

Missão para Lua Europa está prevista para 2023

Em 2019, a Nasa afirmou que uma equipe está estudando a possibilidade de desenvolver uma missão para a Lua Europa.

Esta missão, prevista para o ano de 2023, teria o objetivo de avançar na compreensão da nossa origem cósmica e também como a vida em outros lugares se desenvolvem. Portanto, prevê-se uma exploração profunda da lua de Júpiter.

NASA planeja missão para o satélite natural de Júpiter em 2023

Entre os objetivos da missão está investigar se o satélite possui condições adequadas para o desenvolvimento de vida. Aprimorando assim, os conhecimentos da ciência sobre astrobiologia.

Compartilhe.

Sobre o Autor

Criado para Informar, entreter e divertir os leitores, o Mundo Intrigante oferece conteúdo editorial de grande valor cultural e curiosidades diversas.

Deixe Um Comentário