Saiba como ocorre o encontro das águas na Amazônia

0

O Encontro das Águas é um fenômeno que ocorre em Manaus, sendo um deslumbrante espetáculo da natureza.

Não à toa, agências de turismo vendem pacotes que oferecem passeios de barco para os turistas presenciarem esse espetáculo da natureza. Esses passeios ocorrem no Parque Ecológico Januari.

Encontro das águas em Manaus, Amazonas

Esse fenômeno pode ser visto em muitos rios da Amazônia. Porém, o mais famoso é o que ocorre entre os rios Negro e Solimões.

O encontro também ocorre em outras cidades brasileiras, como em Santarém, no Pará, com os rios Tapajós e Amazonas e também na Amazônia Internacional, como em Iquitos, no Peru.

Encontro das águas em Santarém, Pará

Em homenagem a esse fenômeno, o arquiteto Oscar Niemeyer projetou um monumento do Encontro das Águas que ainda está em construção em Manaus. Este foi um dos últimos trabalhos antes da morte do arquiteto.

Monumento: Encontro das águas – Oscar Niemeyer

A melhor época para ver o encontro das águas

A melhor época para presenciar o encontro das águas é quando o rio está cheio, no período de janeiro a julho.

Nesse tempo, a beleza do espetáculo é mais nítida, além do visitante poder apreciar a biodiversidade da fauna e flora amazônica, com diversas espécies de pássaros, macacos, boto-cor-de-rosa preguiças, etc.

As águas diferentes do Rio Negro e Rio Solimões

O encontro das águas ocorre com as águas escuras do Rio Negro e as águas claras do Rio Solimões.

A coloração escura do Rio Negro é por conta da grande quantidade de ácidos orgânicos derivados da decomposição da vegetação. Essas águas possuem um elevado grau de acidez, com pH de 3,8 a 4,9.

Já o Rio Solimões tem águas de cor barrenta por causa da grande quantidade de sedimentos que a água carrega desde a Cordilheira dos Andes.

Quanto a temperatura, o Solimões é mais frio, tem as águas a uma temperatura de aproximadamente 22 °C, em contrapartida ao Rio Negro que tem a temperatura média de 28 °C.

O rio de águas mais escuras corre lentamente, cerca de 2 km por hora, enquanto o Solimões corre mais rápido, aproximadamente 6 km por hora.

Por que as águas não se misturam

Certamente ao ver esse fenômeno da natureza logo surge a dúvida do motivo das águas não se juntarem.

A separação do Rio Negro e Solimões se estende por mais de 6 km e depois as águas se juntam formando o Rio Amazonas, que se constitui em um ponto de equilíbrio.

As águas não se unem por conta da diferença de composição, acidez, temperatura e densidade. Todos esses aspectos em conjunto fazem com que a divisão das águas dos rios seja clara. 

O contraste das tonalidades claras e escuras é muito forte, o que faz com que o fenômeno possa até mesmo ser visto do espaço.

A depender das condições, as águas podem formar redemoinhos que deixam os dois rios agitados, mas que compõem formas incríveis.

Encontro das águas – Imagem de satélite

Compartilhe.

Sobre o Autor

Criado para Informar, entreter e divertir os leitores, o Mundo Intrigante oferece conteúdo editorial de grande valor cultural e curiosidades diversas.

Deixe Um Comentário