Uluru (Ayers Rock): A grande pedra da Austrália

0

O Uluru, também conhecido como Ayers Rock ou The Rock, é um monólito localizado no Parque Nacional de Uluru-Kata Tjuta, no norte da área central da Austrália.

O Parque foi reconhecido como patrimônio natural da UNESCO por conta de seu valor geológico e também da cultura que possui dos povos aborígenes.

A pedra possui mais de 348 m de altura e 9,4 km de circunferência. Além disso, ela se estende em 2,5 km de profundidade no solo. Por conta do tamanho, o monte é considerado como um iceberg na terra.

Curiosidades sobre a pedra Uluru

William Gosse foi quem descobriu a pedra em 1873 e a batizou como Ayers Rock. O nome é uma homenagem a Sir Henry Ayers, que era o oitavo primeiro-ministro da Austrália do Sul na época.

Henry Ayers – O oitavo primeiro-ministro da Austrália do Sul

O Uluru é o segundo maior monólito do planeta, perdendo somente para o Monte Augustus, que também está na Austrália.

Monte Augustus

A pedra chama atenção por conta de sua coloração. Os tons variam de acordo com a iluminação em diferentes horas do dia e do ano.

A constituição da pedra é de arenito com diversos minerais, como o feldspato, que é o responsável pelo o brilho avermelhado.

Assim, ao pôr-do-sol, a pedra oferece um visual de tirar o fôlego.

Escalada na pedra não é vista com bons olhos pela população local

Escalar o Uluru deveria estar fora de cogitação por ser um local sagrado para os aborígenes da tribo Anangu, que habitam a região a aproximadamente 10 mil anos.

Para os Anangu, o monte foi constituído por seres ancestrais durantes seus sonhos. A prova disso seria as cavernas e fissuras que estão ao redor da formação rochosa.

Até hoje os aborígienes fazem rituais nas cavernas próximas da base. Nesses locais é proibido fotografar como forma de respeito ao local sagrado.

Os Anangu consideram escalar o monte como um sacrilégio. Contudo, desde os anos de 1948, quando foi aberta a primeira entrada para a área, turistas vão ao local para escalar.

A subida parece fácil, mas pode ser bastante perigosa, por conta da temperatura. Não é à toa que já houve mais de 30 mortes na escalada.

Por toda a parte no parque há apelos para que as pessoas não escalem o Uluru e repensem o ato por ser um local sagrado.

Assim, o turismo sustentável no local seria caminhar ao redor do Uluru e apreciar as formas, texturas e cores.

O local é excelente para fotografias. Além disso, há cavernas com pinturas rupestres, fendas, área verde, áreas de observação, cisternas e reservatório de água.

Todos os anos, o monte é visitado por cerca de 500 mil pessoas. Acredita-se que cerca da metade dessas pessoas ignoram o apelo de não escalar a pedra e o fazem.

Lendas sobre a Uluru

O Uluru é sagrado para os aborígenes, sendo este um nome originário desses povos.

Há turistas que levam um pedaço do Uluru para casa como lembrança e acabam devolvendo dizendo que o feito trouxe azar.

Essa seria uma forma de maldição de se retirar um pedaço do monte sagrado para os aborígenes.

Assim, o Parque em que a pedra está localizada recebe frequentemente pacotes com amostras da pedra e pedidos de desculpas pelo feito.

Deixe Um Comentário